Fitossanidade

 
 
 

Processionária (Lagarta do Pinheiro)

 
 
A processionária ou lagarta do pinheiro (Thaumetopoea pityocampa) é um inseto que se alimenta das agulhas dos pinheiros e cedros. A designação de processionária remete para as filas (procissões) que formam para se deslocarem em direção ao solo, onde formarão os seus casulos e posterior crisálida. As já borboletas, por sua vez, após acasalamento, depositam os seus ovos nas copas dos pinheiros, podendo fazê-lo num raio de até 4 quilómetros, para que após eclosão das lagartas, estas estejam em contacto direto com a sua fonte alimentar.
As permanentes alterações climáticas têm sido uma das principais causas para que ano após ano se tenha vindo a observar a exponencial propagação da praga.
Estas circunstâncias impõem a necessidade de constante atenção e atuação, sobretudo em espaços de coabitação com humanos e animais, pois os milhares de pelos urticantes que a processionária liberta, que se espalham pelo ar e ficam retidos nos solos com atividade de longos períodos (até alguns anos), desencadeiam consequências de saúde publica, tais como reações alérgicas (cutâneas, respiratórias, oculares…) em humanos e animais. Registam-se inclusivamente casos de morte. Felizmente, a solução não reside no abate de árvores. É possível prevenir e combater a infestação
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Endoterapia

 
Durante a fase dos pelos urticantes (de dezembro a junho) existem riscos de saúde para os humanos e animais domésticos. A intervenção através da metodologia de endoterapia (microinjeção do tronco) deve ser efetuada de setembro a dezembro.
 

Vantagens da Endoterapia

 
  • Possibilidade de aplicação sem restrições climáticas;
  • Rápido alcance a todas as zonas da árvore, independentemente do seu porte;
  • Inexistência de resíduos no meio ambiente;
  • Menor aplicação de produto;
  • Isenção de qualquer risco para os aplicadores e utentes dos espaços;
  • Adição de fitonutrientes / emulsionantes, concedendo um vigor excecional às árvores;
  • A matéria tóxica é fotodegradável, não oferecendo riscos para os recursos hídricos, seres humanos ou animais.
  • Substância ativa homologada pela DGAV
  • Direção Geral de Alimentação e Veterinária;
  • Serviço efetuado por técnicos acreditados pela DGAV (produtos fitofarmacêuticos). A B.C.V. possui seguro de responsabilidade civil, conforme imposição legal.
 
 
 
 
 
 
 
 

Remoção Mecânica de ninhos de processionária (lagarta do pinheiro)

 
Efetuamos remoção mecânica de ninhos de processionária localizados até 20m de altura, assegurando o seu posterior transporte e eliminação. Esta população está ativa essencialmente entre novembro e abril.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Aplicação de cintas e adesivas e armadilhas para captura de processionária

 
A aplicação de cintas adesivas e de armadilhas tem por finalidade a captura de processionária aquando da sua descida dos pinheiros em direção ao solo. Esta ação deve decorrer essencialmente entre janeiro e abril.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Melado das Árvores Ornamentais – Pulgões e Afídeos

 
 

Combate a Pulgões e Afídeos

 
A partir de maio verifica-se o aparecimento do melado, ou seja, uma substância colante e pegajosa que resulta na enorme sujidade nos carros e nos passeios, junto às árvores. Essa situação advém da infestação de pulgões ou afídeos nas árvores, que são insetos sugadores das folhas e flores. Não tendo capacidade digestiva para transformar toda a sacarose consumida, provocam através das suas excreções, o respetivo melado. Através do combate e eliminação destes insetos, garantir-se-á a não libertação de melado e posterior atração de insetos como formigas e moscas. Algumas das espécies mais propensas a este tipo de infestação são as tílias; jacarandás; tipuanas-tipu; lagerstroémias; catalpas; ulmeiros; choupos; olaias; bauhinias;…
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Endoterapia em árvores ornamentais

 
A intervenção através da metodologia de endoterapia (microinjeção do tronco) deve ser efetuada entre março e junho.
 

Vantagens da Endoterapia

 
  • Possibilidade de aplicação sem restrições climáticas;
  • Rápido alcance a todas as zonas da árvore, independentemente do seu porte;
  • Inexistência de resíduos no meio ambiente;
  • Menor aplicação de produto;
  • Isenção de qualquer risco para os aplicadores e utentes dos espaços;
  • Adição de fitonutrientes / emulsionantes, concedendo um vigor excecional às árvores;
  • A matéria tóxica é fotodegradável, não oferecendo riscos para os recursos hídricos, seres humanos ou animais.
  • Substância ativa homologada pela DGAV – Direção Geral de Alimentação e Veterinária;
  • Serviço efetuado por técnicos acreditados pela DGAV (produtos fitofarmacêuticos). A B.C.V. possui seguro de responsabilidade civil, conforme imposição legal.
 
 
 
 
 
 
 
 

Pulverização em arbustos

 
A pulverização de produtos biológicos, que não oferece quaisquer riscos ambientais nem riscos para a população, é altamente eficaz no combate a infestações de insetos em arbustos, eliminando-os por asfixia. Os loendros são um exemplo de arbusto bastante propenso ao tipo de infestação.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Tratamento de Palmeiras – Combate ao escaravelho das palmeiras

 
 

Ainda é possível salvar palmeiras!

 
O escaravelho das palmeiras (Rhynchophorus ferrugineus) tem vindo a ser devastador para várias espécies de palmeiras em Portugal desde 2007.
Sendo uma praga de rápida dispersão e elevada nocividade, tem vindo a deflagrar várias espécies de palmeiras, sobretudo a espécie Phoenix canariensis (Palmeira das Canárias).
Os principais e visíveis sintomas da existência de infestação são o aspeto achatado da terminação das palmas; a perda de forma da copa, essencialmente pela queda e perda de vigor das palmas centrais e aparecimento de orifícios e galerias na base das palmas, sendo por vezes detetável a presença de casulos, escaravelhos e larvas.
Porém, nem sempre a invasão às palmeiras é detetável. Atuando preventivamente, pode salvar as suas palmeiras! Quanto mais saudáveis estiverem as palmeiras, maior será a eficácia das intervenções.